Carlos Alberto Casali

UNIDADE DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE COMPOSTAGEM

 

A compostagem é uma técnica correta de processar resíduos orgânicos, contribuindo para a redução da contaminação ambiental. Nesse sentido, a instalação de unidades de ensino pesquisa e extensão (Unepe) de compostagem em instituições de ensino são fundamentais para incentivar o uso dessa tecnologia. Com o apoio da direção geral, em maio de 2014 foi implantada na UTFPR-DV a UNEPE de compostagem, a qual é responsável por processar os resíduos orgânicos produzidos no campus da universidade, como resíduos de poda, resíduos vegetais e dejetos e carcaça de animais. Ela possui uma área de 1600 m², com um pátio de compostagem ao ar livre de 800m2 e 2,0% de declividade. Todo o gerenciamento da UNEPE é feito por estudantes dos cursos de Agronomia e Engenahria Florestal. Ademais, os funcionários terceirizados ficaram responsáveis pela coleta desses resíduos e foram treinados sobre os procedimentos necessários para a execução da compostagem, principalmente das carcaças de animais que venham a óbito. Sem a UNEPE, os resíduos estariam depositados inadequadamente e as carcaças de animais teriam sido enterradas sem critério, favorecendo a contaminação ambiental do campus.

 

PROJETOS SOBRE COMPOSTAGEM:

 

PROCESSAMENTO DE CARCAÇA DE GRANDES ANIMAIS POR MEIO DA COMPOSTAGEM

A produção de grandes animais tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil. Conforme dados do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), atualmente o Brasil possui o segundo maior rebanho bovino do mundo, sendo 23 milhões apenas de vacas ordenhadas na produção leiteira. Também, é o quarto maior exportador de carne suína, detém o terceiro maior rebanho de equinos do mundo e verifica-se que a produção ovina e caprina tem crescido consideravelmente. Isso gera uma preocupação com o descarte de animais que venham ao óbito pelos mais variados motivos, causas naturais, doenças ou incidentes, tendo em vista que produzem odores indesejáveis, podem proliferar zoonoses ou contaminar o ambiente com elementos químicos. A Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos (UTFPR-DV), em condição de campus agrário, possui um grande número de animais, que eventualmente vem ao óbito. Com isso, a compostagem surge como alternativa às práticas mais comuns de destinação destas carcaças, práticas que podem causar problemas com contaminação no solo e lençol freático e transmissão de doenças. A compostagem é um processo controlado de decomposição microbiana, de oxidação e oxigenação de uma massa heterogênea de matéria orgânica (Kiehl,1985), que necessita de temperatura, aeração, umidade, relação C/N como fatores básicos para um bom processo microbiológico. A Compostagem dá um destino ambientalmente correto a resíduos orgânicos, pois o composto é passível de utilização em culturas agrícolas como fertilizante orgânico. Além disso, quando bem manejada, a compostagem se torna uma fonte de renda alternativa ao produtor rural, pois exige infraestrutura simples, baixa mão-de-obra e utiliza resíduos oriundos de outras atividades agropecuárias como matéria prima. Em função da necessidade de dar um destino adequado às carcaças de grandes animais oriundos das criações bovinas, suínas, ovinas e caprinas do Sudoeste do Paraná e, assim, diminuir os problemas relacionados com zoonoses e com a contaminação do solo e da água, bem como difundir tais informações entre os criadores do Sudoeste do Paraná, o presente projeto tem como objetivo principal avaliar e difundir a compostagem como sistema alternativo para o processamento de carcaças de grandes animais no Sudoeste do Paraná.

 

USO DA COMPOSTAGEM PARA O CONTROLE DE SALMONELLA SPP EM CARCAÇAS DE FRANGOS DE CORTE

A produção de frango tem ganhado espaço no Brasil, sendo que é o terceiro maior produtor mundial e líder em exportação de carne de frango, chegando a 142 países (MAPA). A Região Sul do Brasil tem destaque nessa produção, tendo o Rio Grande do Sul e o Paraná como os principais estados produtores, este último com a produção concentrada na Região Sudoeste e Oeste. As salmonelas são as maiores responsáveis por toxinfecções alimentares humana. No mundo elas representam cerca de 10- 15% de casos de gastroenterite aguda. São fontes mais comuns destes surtos alimentares, as aves, ovos, carnes, produtos de carne (Jay, 2000). Poratanto, é fundamental o adequado processamentos de resíduos de origem animal a fim de evitar a proliferação desse microrganismo. No processamento de carcaças de animais por meio da compostagem utiliza-se primeiramente pilhas estáticas (sem revolvimento) até a completa degradação e estabilização do material. Após, o material deve ser compostado por meio de pilhas que devem ser umedecidas e reviradas periodicamente, caracaterizado o verdadeiro processos de compostagem. Tanto na pilha estática quanto na revolvida periodicamente o aumento da temperatura acima de 70°C poderá ocasionar a morte de microrganismos indesejáveis, dentre os quais a Salmonella sp., produzindo assim um composto passível de ser utilizado como fertilizante em qualquer tipo de cultura comercial. O objetivo geral do presente projeto é avaliar o uso da compostagem para o controle de Salmonela em carcaças de frangos de corte. Como objetivos específicos, destaca-se: avaliar o efeito de diferentes tamanhos de pilhas de compostagem no controle de salmonela de carcaças de frango de corte; quantificar os teores de nutrientes acumulados no composto produzido a partir de pilhas de compostagem de carcaças de frango de corte.

left center tsY fwR|show left center fwB tsN fsN normalcase|fwR||c05|image-wrap|news b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|news login b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|c05|content-inner||